Porque uma é pouco! Porque umas 1000 é capaz de ser demais. Aqui passarão a figurar as muitas existências de mim mesma. As muitas vivências de mim para mim mesma.

10
Jan 10

"Recomeça...
Se puderes,
Sem angústias e sem pressa.
E os passos que deres
Nesse caminho duro
Do futuro
Dá-nos a liberdade
Enquanto não a alcances
Não descanses.

De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado
Vai colhendo
Ilusões sucessivas no pomar
Sempre a sonhar
E vendo
Acordado,
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde a lucidez, te reconheças."

Miguel Torga, Diário

publicado por M.M. às 01:04
tags:

08
Jan 10

 

 

Há dias melo-qualquer coisa!

...hoje é um deles...

Só porque sim!

 

Fazemos e refazemos contas

O antes

O agora

E o depois!

publicado por M.M. às 13:18

Adoro rir-me sozinha com a felicidade estampada no rosto das pessoas com que me cruzo! Mas mais, ainda, quando revejo uma amiga e ela transporta no olhar um brilho muito especial e tem um sorriso feliz de orelha a orelha

publicado por M.M. às 13:10

07
Jan 10

 

 

Simone, só porque sim!

 

Vou dormir e sonhar com esta música! E sonhar com os sonhos que sonhei... e com os que continuo a ter! E dar muito em troca de nada, mas isso só amanhã...

publicado por M.M. às 00:24

(by idareyoutoclickthis)

 

 

Só problemas atrás de problemas

Dores de cabeça e patologias associadas!

 

Um agradecimento especial a todos aqueles que faço questão de chatear todos os dias e que não se importam de me ajudar até nas dúvidas mais estúpidas e parvas, sem se rirem nem fazerem cara de nojo. Outro agradecimento para os menos anónimos da minha vida que, estando longe, me aquecem o coração com uma chamada daquelas que só acabam quando o telemóvel deixa de ter saldo e que não se importam que, pela miléssima vez, nós desabafemos!

 

Obrigada!


02
Jan 10

 

publicado por M.M. às 20:43

É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas agigantam-se e encolhem-se aos nossos olhos. O nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de acções e reacções, de expectativas e frustrações.
Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la inesperadamente torna-se mais uma. Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande... é a sua sensibilidade, sem tamanho.
 
William Shakespeare

Imperdoavelmente este texto que li há uns tempos num blog alheio (do qual não guardei a indicação) foi ficando perdido nos rascunhos...

 

Que todos possamos ter na nossa vida estas pessoas...


Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

13
15
16

19
21
22

24
25
26
30

31


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

15 seguidores

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO