Porque uma é pouco! Porque umas 1000 é capaz de ser demais. Aqui passarão a figurar as muitas existências de mim mesma. As muitas vivências de mim para mim mesma.

28
Dez 09

Como tenho a mania que sou organizada... Tenho no meu computador ene pastas cujos títulos variam entre CF, ver, outros, docs, etc... E em dias como o de hoje onde a vontade de fazer algo de (mais) produtivo é quase nula, não há nada como organizar mais uma destas "pastinhas"!!

 

De entre todos os ficheiros que apaguei porque não interessavam, outros que estavam duplicados e outros ainda que não sei por alma de quem os tinha guardado... encontrei um poema que li há uns bons tempos atrás e que na altura fazia toda a lógica que o tivesse guardado numa pasta que dizia "tu"! Lembrei-me de quem era esse "tu", que passou rapidamente a ter um nome próprio e uma existência bem real!

Fica aqui, como se se tratasse de uma página da história da minha vida:

 

Arranca-me os olhos, e ainda te poderei ver.
Arranca-me os tímpanos, e ainda te poderei ouvir.
Sem pés, ainda poderei caminhar para ti.
Sem língua, poderei invocar-te a qualquer hora.
Arranca-me os braços, poderei abraçar-te
e agarrar-te com o coração, como se a mão fosse.
Pára meu coração e meu cérebro baterá com a mesma fidelidade.
E se meu cérebro incendiares,
então em meu sangue te carregarei.

Bergerac

 


Nunca sei muito bem o que hei-de dizer quando vejo uma amiga triste e sem rumo! Pior de tudo sei que ela para desabafar daquela maneira é porque, de facto, é grave.

 

publicado por M.M. às 01:29

Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11

14
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
29
31


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

16 seguidores

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO