Porque uma é pouco! Porque umas 1000 é capaz de ser demais. Aqui passarão a figurar as muitas existências de mim mesma. As muitas vivências de mim para mim mesma.

13
Jan 11

publicado por M.M. às 15:06

21
Set 10

No smile! No love.

Eu adoro sorrisos

Mas mais ainda o amor


13
Set 10
Partilhar é uma das melhores coisas do mundo. E, no amor, é a melhor de todas... aproxima, une, solidifica, cimenta e deixa as melhores marcas em momentos, que até podem ser difíceis, mas que serão os recordados como os mais fortes e importantes de todos, porque é aí que reside a força do amor.
publicado por M.M. às 17:35

30
Ago 10

 

Como alguém dizia:

será assim tão difícil ser-se verdadeiro e amar sem limite
sem pensar em segundas, terceiras e quartas coisas
sem pensar o porquê, o antes, o depois, a causa, o início ou o fim

olhar, tocar, falar, amar, abraçar, beijar só porque se ama!

 

Este é o verdadeiro sentido do amor. Este é o real sentido, que até uma criança é capaz de perceber... pena que por vezes ao crescermos deixamos de nos guiar por aquilo que é genuino e começamos a proteger o nosso coração com escudos ou a cobri-lo com vestes desnecessárias...


23
Nov 09

Se há coisas que me enervam... É encontrar uma pessoa conhecida passado anos e depois elas terem a necessidade de me contar a vida delas que, normalmente implica um rebanho de filhos, uma maridinho e uma sogra e umas cunhadas! E depois olham para mim com cara de tacho e dizem: "Ainda solteira? Tu vê lá se desencalhas!"

 

Matem-no. Têm a certeza que está morto?

Fico mais descansada assim!

 

Não acham extraordinário? Eu acho!

 

Depois lá lhes tento explicar (a alguns, que outros nem vale o trabalho) que nos poderemos sentir realizados sem termos uma criancinha a agarrar-nos na perna, nem um sogra chata de quem possamos dizer mal! Parece-lhes sempre curta a explicação do "vou namorando" e querem logo saber quem é, o que faz, se é rico!

 

Enfim, tirem-me deste filme.


09
Nov 09

Hoje mais duas horas perdidas à custa do toque no carro! Entre deixar o carro na oficina e ir buscar o carro de substituição, nada como tomar um cafezinho para ver se abria a pestana....

 

Um cafezito simpático numa parte da cidade que quase desconhecia! Entro e sento-me na mesa que tinha os jornais em cima, para meu desconsolo eram de ontém... Ainda assim ainda passei os olhos pelo JN!

 

Peço um cafezito e um bolo de arroz (que de arroz pouco tinha!), nisto sentam-se numa mesa próxima um casal de namorados com cara de caso. Pensei... Que bela forma de começar uma semana, não haja dúvida =)  Bebo o meu cafezito e, ainda que sem querer, ouço parte da conversa (até com o barulho do moinho da máquina de café era audivel)!

 

 

Blá blá blá pardais ao ninho e tal e coisa e coisa e tal.... Sim porque ninguém é de ninguém... blá blá blá

 

Este "ninguém é de ninguém" fez-me lembrar da belissima música do João Pedro Pais! Mas acho que foi só mesmo a mim, eles continuaram como se nada fosse a bela da discussão matinal, como se uma luta de galos se tratasse! Acho que se tivessem tido a mesma ideia que eu acabariam a ter uma discussão metafísica sobre o "amor" e a coisa amainava, ou não! Mas isto sou eu que penso....

publicado por M.M. às 18:25

17
Jul 09

Hoje pensei nele!

Pensei nele como nunca o tinha visto antes.

Como nunca tinha imaginado pensar.

 

publicado por M.M. às 18:40

13
Jul 09

Abraça-me

Não me abraces como abraças os outros! Abraça-me a mim.

publicado por M.M. às 19:58

16
Abr 09

Qual é a pessoa que depois de há anos atrás ter dito não a alguém e passados os mesmos anos em que disse não ser confrontada com a mesma pergunta e ficar sem saber se o sim não será a melhor resposta, mas depois o sim JÁ NÃO sentido, depois de tudo o que passamos, de tudo o que vivemos separados!

 

Como posso não bater mal quando tenho no meu msn a seguinte missiva: "Olá princesa, já te disse que eu posso ser o teu principe encantado?" E que depois de insistir que o meu princípe há-de chegar montado num cavalo branco ele nos diz que se for preciso compra o cavalo e me rapta da torre mais alta do Castelo?

 

À proposta de rejeição ainda me faz rir dizendo para começar a ir ao ginásio antes de lhe dar uma "bofetada com força"! "Achas que me vou embora antes de sentir o calor dos teus lábios nos meus? 6 anos com essa mesma vontade que não passa..."

Imagem retirada daqui.

 

 

Eu sou complicada, sabes que o sou! Caramba.... E ele responde: "Não és nada complicada és muito franca, eu é que te sufoco".

 

Como é que eu posso ter podia ter dito não, quando deveria ter dito SIM!

publicado por M.M. às 22:22

20
Mar 09

«Já se conheceram e surge o momento do primeiro encontro a dois. O típico jantar. O homem convida. A mulher aceita.



 

 

Este convite convém não ser feito em cima da hora, porque se o for, o homem arrisca-se a levar um não. Nós mulheres não apreciamos, de todo, convites de última hora. Faz-nos sempre lembrar que fomos a última opção, o fim da lista. Ele tentou tudo, mas como não conseguiu, convida-nos para salvar a sua noite. Não pode ser, meninos.

O restaurante. Pois, o restaurante. Chineses e Japoneses, já estamos nós fartas. Restaurantes com televisões de écran plasma a exibirem o jogo do Benfica com o Naval Primeiro de Maio, estão completamente proibidos. Da mesma forma que estão proibidos os restaurantes de rodízios, e todos aqueles enfarta-brutos, por muitas razões... Mas, sobretudo, porque temos de nos levantar para nos servirmos. Nós não gostamos. Sabemos que os rapazes nos tiram as medidas nessa altura. E nós, já nervosas, ficamos ainda mais nervosas.

Portanto, convém ser um restaurante calmo, daqueles onde temos quase a certeza de que não vão estar trinta pessoas num jantar da empresa, aos berros. Com uma luz discreta. Uns pratos deliciosos. Uma boa carta de vinhos. Um bom atendimento. E que vocês já conheçam na perfeição, para que nos possam aconselhar alguma coisa. Fica sempre bem.

Durante o jantar, por favor, não se ponham a falar das desgraças da vossa vida. Nós não saímos convosco para chegarmos a casa deprimidas. Falemos de coisas agradáveis e leves. Um filme que se viu. Um livro que se gostou. Uma viagem mais marcante. Falemos de nós, mas sem falarmos demasiado. O resto virá sempre por acréscimo.

Não abordei aqui o facto de o rapaz nos ir buscar a casa e nos abrir a porta do carro, porque, pelo menos para mim, isso está fora de questão. Não gosto particularmente que me façam isso. Quer dizer, eu gosto que me abram a porta do carro. Mas não que me venham buscar e trazer a casa. Pelo menos nos primeiros encontros. Como mulher independente que sou, agarro no carro e vou ter ao restaurante. Meninas, acreditem, é muito melhor assim. Aprendam comigo. É que se a coisa correr mal, eles nunca chegam a saber onde moramos. E, no final, não temos de estar ali com despedidas patéticas enquanto eles ficam à espera, tal e qual cachorrinhos abandonados, que os convidemos para subir. Não, nada disso. Esse tempo já lá vai.»

Pescado aqui.

publicado por M.M. às 22:05

Dezembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO